Descobrindo o Amazonas

O El Dorado é aqui

Nhamundá

Nhamundá é uma cidadezinha de geografia peculiar. Com uma população de apenas 20 mil habitantes, toda a sua sede municipal fica localizada em uma pequena ilha no meio do rio que leva o mesmo nome da cidade.
 
Com seu tamanho diminuto, pode parecer que o município não tem nenhum atrativo a oferecer... ledo engano! Por ser uma ilha no meio de um rio de águas escuras, a cidade fica completamente cercada de praias de areia branca no período da vazante. A mais frequentada de todas é a Praia da Liberdade, com direito a mesas e cadeiras dispostas na areia e quadras de esporte improvisadas pela população. Próximo dali, Ponta das Pedras é outra praia urbana que merece ser visitada, formando uma pequeno braço de areia, cercado por rochas, que avança sobre as águas do rio.                              

Mas não é apenas ao redor da ilha de Nhamundá onde se encontram belas praias. Na verdade, a praia mais bonita do município fica justamente na outra margem do rio. Com apenas dez minutos de voadeira é possível chegar na Praia do Juruá, uma belíssima praia deserta de águas cristalinas que se revela um verdadeiro paraíso para quem busca sossego e descanso.  

 

O berço das Amazonas

Além das suas belas praias, Nhamundá também se destaca por ser o cenário de um dos episódios mais emblemáticos das lendas amazônicas. Foi nesta região que, segundo relatos, aconteceu o fatídico encontro do navegador espanhol Francisco de Orellana com uma tribo de guerreiras indígenas, as Icamiabas. Por remeteram às figuras femininas da mitologia grega, Orellana pensou que as guerreiras fossem amazonas, originando assim o nome pelo qual ficou conhecida toda a nossa floresta e o grande rio que a atravessa.

A grande morada das Icamiabas teria sido nos arredores da Serra do Espelho da Lua, que fica a apenas 40 minutos de voadeira da ilha de Nhamundá. Nesta região cercada por pequenas colinas existe um lago chamado de Espelho da Lua, um lugar sagrado onde as guerreiras realizavam os seus rituais e de onde retiravam um mineral esverdeado com o qual moldavam os muiraquitãs, pequenos amuletos que serviam de presente aos homens das tribos vizinhas após uma noite de amor. Por serem uma sociedade estritamente matriarcal, as Icamiabas mantinham entre si apenas as meninas nascidas desta relação, devolvendo os filhos homens aos pais.

Hoje em dia, infelizmente, não há qualquer vestígio da lendária tribo. Ainda assim, a Serra do Espelho da Lua mantém sua aura mística, surgindo imponente no meio do rio Nhamundá e oferecendo belas praias desertas em meio às colinas verdes cobertas pelo manto imaculado da floresta.  

Resumindo...

Distância de Manaus: 383 km em linha reta, e 660 km por via fluvial.

Como chegar (duração / custo de ida):

  • Barco regional (21 horas / 150 reais) 

Não deixe de ver/fazer:

- As praias do município aparecem apenas entre os meses de setembro e janeiro, durante a vazante do rio.

- Infelizmente, Nhamundá não conta com nenhum centro de atendimento ao turista ou sequer com algum serviço formal de guias turísticos. Para chegar à Praia do Juruá e à Serra do Espelho da Lua é preciso pedir informações da população local e "pedir carona" dos barcos que ficam na orla. 

- Nhamundá não é servida por vôos regulares de nenhuma companhia área. Para chegar ao município é preciso pegar um barco regional a partir de Manaus ou ir até Parintins e pegar outro barco ou lancha até Nhamundá, que fica a apenas alguns quilômetros de distância. 

- O site Viagens & Negócios oferece uma ótima ferramenta de busca que mostra os horários e contatos dos barcos e lanchas que fazem viagens intermunicipais pelo Amazonas.  

Para ver fotos de Nhamundá, clique aqui.

Comentários